Anulada dispensa de empregado pouco tempo depois de ajuizamento de ação trabalhista contra empresa

Posted by:

ANULADA DISPENSA DE EMPREGADO POUCO TEMPO DEPOIS DE AJUIZAMENTO DE AÇÃO TRABALHISTA CONTRA EMPRESA

A Terceira Turma do Tribunal Superior do Trabalho considerou discriminatória a dispensa de um operador de máquina da Mahle Metal Leve S.A., ocorrida pouco tempo depois do ajuizamento de ação trabalhista contra ela. Com base na interpretação analógica da Lei 9.029/95, que autoriza a reintegração do empregado dispensado por motivo de sexo, origem, raça, cor, estado civil, situação familiar ou idade, a Turma anulou a dispensa.

DemissãoO operador ainda estava empregado quando entrou com a reclamação na Vara do Trabalho de Itajubá, contando que, após 27 anos ininterruptos de trabalho na Metal Leve, foi dispensado e recontratado dois meses depois na mesma função, mas com salário mensal inferior. Requereu o reconhecimento da unicidade contratual, o pagamento das diferenças salariais e indenização por dano moral. A empresa alegou que a dispensa não foi discriminatória, mas da consequência da baixa de produção do setor automobilístico.
O Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região (MG) manteve a sentença que indeferiu a reintegração, entendendo que não se podia dar interpretação ampliativa à Lei 9.029/95, como pretendia o trabalhador. Mesmo tendo constatado que a dispensa ocorreu de forma abusiva, demonstrada em análise pericial, o Regional considerou que o artigo 4º da lei, que trata da reintegração, se aplica apenas aos casos mencionados no caput do artigo 1º.

O trabalhador entrou com recurso para o TST, que foi examinado pelo ministro Alberto Bresciani. Em seu entendimento, apesar de a lei em questão se referir taxativamente à prática discriminatória motivada de sexo, origem, raça, cor, estado civil, situação familiar ou idade, utiliza-se a interpretação analógica nos casos de dispensa por ajuizamento de ação trabalhista, “tendo em vista violação ao direito constitucional de ação”. A despeito de a lei considerar apenas algumas condutas como crime, ela veda expressamente “qualquer prática discriminatória” que limite o acesso ou a permanência no emprego, afirmou.

Destacando que a conclusão pericial de que a dispensa do empregado se deu de forma discriminatória, em  retaliação pelo ajuizamento de ação trabalhista contra a empresa, o relator reformou a decisão regional e declarou a nulidade da dispensa, condenando a empresa ao pagamento de todas as verbas trabalhistas referentes ao período de afastamento, com base no salário percebido anteriormente à demissão.

Por unanimidade, a Turma considerou devidas também as diferenças salariais, tendo em vista que ele foi readmitido na empresa com salário inferior ao anterior, e determinou a retificação na CTPS, para que passe a constar um único contrato de trabalho.

As duas partes opuseram embargos declaratórios, rejeitados também por unanimidade.

(Mário Correia/CF)

Processo: ARR-11240-03.2014.5.03.0061

Fonte: Secretaria de Comunicação Social Tribunal Superior do Trabalho

0

Mais um Grande Benefício para os Nossos Associados

Posted by:

MAIS UM GRANDE BENEFÍCIO PARA OS NOSSOS ASSOCIADOS

+ Saúde O Presidente do Sindicato dos Vigilantes de Guaratinguetá e Região com apoio de sua diretoria acaba de fechar um grande Convênio para os Vigilantes associados do Sindseg.

Depois de muitas conversas e negociações o Sindseg finalizou uma Formidável parceria com a CLÍNICA MÉDICA + SAÚDE, agora nossos associados terão descontos em diversas especialidades Médica, como:

Clinica Geral, Pediatria Cardiologia, Ortopedia, Dermatologia, Geriatria, Endocrinologia, Ginecologia, Oftalmologia Alergologia, Pneumologia, Reumatologia, Urologia, Otorrinolaringologia e Gastroenterologia.

Há Também atendimento em outras especialidades como:

Fisioterapia, Nutricionista, Fonoaudiologia, Pilates, Estética, Podologia, Psicologia, Psicopedagogia, R.P.G., Acupuntura e Quiropraxia.

a Clínica  Médica + Saúde fica localizada na Avenida Presidente Vargas, N° 479 (Avenida do Carnaval) – Vila Paraíba em Guaratinguetá.

Para mais Informações entre em contato com o Sindseg pelos telefones: (12) 3133-2738 / 3133-4123.

 

 

 

0